Prazer imediato - Edição Junho 2018

Rate this item
(2 votes)

Você comeu do fruto da árvore da qual o proibi comer? (Gênesis 3.11). 

Adão e Eva consumaram apenas o que já existia dentro deles. Deus deu tudo ao homem e deixou apenas uma restriçãoNão coma da árvore que está no meio do jardim; porém, facilmente Eva foi levada pelos argumentos do diabo e, também, sem nenhuma resistência Adão cedeu. Por que se entregaram tão fácil? Porque é certo que eles já desejavam aquilo a que Deus havia dito “Não”. Aquela desobediência significava a morte espiritual dos dois e, a obediência, a permanência no Éden, desfrutando de toda bondade e poder que Deus tinha concedido. Tudo mudou quando Adão e Eva desobedeceram a Deus: eles se viram nus fisicamente porque estavam nus espiritualmente; nunca tinham precisado se esconder e, agora, estavam se escondendo; nunca tinham experimentado o medo na vida e, agora com medo. 

As consequências do pecado são danosas e as circunstâncias são completamente modificadas. Muitas vezes encontramos pessoas se sentindo desnudas, com medo, confusas, fugindo e se escondendo, o que são sintomas porque, a causa é o rompimento ou a falta de relacionamento com Deus. O homem se relacionava com Deus, tinha comunhão com Deus, vi-via em paz, tinha alegria, abundância, não tinha falta de nada, podia desfrutar de todos os prazeres e tinha muito para ser aproveitado, apreciado, mas ele foi levado a desejar exatamente aquilo que Deus disse “Não, isso não é para você, isso não vai lhe fazer bem”.  Acredite, quando Deus diz que algo não é bom, Ele está dizendo exatamente isto: “Não é bom”, mas se Deus disser que é bom, pegue, pois é bom mesmo! Deus sabe o que é bom. Nós vemos no primeiro capítulo de Gênesis Deus falando, E viu Deus que era bom. Deus sabe o que é bom para cada um de nós e também sabe o que não é. 

Às vezes encontramos pessoas lamentando seus resultados como está em Isaías 40.27 Porque você reclama, ó Jacó, e por que se queixa, ó Israel: “O Senhor não se interessa pela minha situação; o meu Deus não considera a minha causa? A seguir, no 40.28, vem a resposta: Será que você não sabe? Nunca ouviu falar? O Senhor é o Deus eterno, o criador de toda terra. Ele não se cansa nem fica exausto; sua sabedoria é insondável. 

Ele fortalece o cansado e dá vigor ao que está sem forças. 

Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam. 

As pessoas tendem a fazer escolhas contrárias à direção que receberam de Deus; assim procedendo, é certo que se frustrarão e, por não assumirem responsabilidade, numa cegueira espiritual absurda faltam-lhes consciência da condição em que estão, isto é, não sabem quem são e onde estão; começam a reclamar dos resultados e colocam como se fosse Deus o responsável pelos fracassos e até como um desinteressado em lhes dar vitórias. Entretanto, o Senhor está sempre pronto a abençoar os Seus, a fortalecer aqueles que esperam, confiam, se escondem n’Ele e dependem d’Ele; estes são renovados, promovidos, exaltados e têm progresso. 

A Bíblia diz: Apresentai a vossa demanda, diz o Senhor; trazei as vossas firmes razões, diz o rei de Jacó (Isaías 41.21). Fala também em Isaías 43.26 Procura lembrar-me, entremos em juízo juntamente, apresenta as tuas razões para que te possa justificar. Quando o Senhor deu oportunidade a Adão para apresentar-lhe as suas razões, ele não respondeu ao que foi perguntado e depois respondeu com uma desculpa jogando a responsabilidade para a mulher que, da forma em que ele colocou, era também responsabilidade de Deus. Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: “Onde está você?” e ele respondeu: “Ouvi teus passos no jardim e fiquei com medo, porque estava nu, por isso me escondi”. E Deus perguntou: “Quem disse que você estava nu? Você comeu do fruto da árvore da qual lhe proibi comer? Disse o homem: “Foi a mulher que me destes por companheira que me deu do fruto da árvore, e eu comi” (Gênesis 3. 9 ao 12).

Em seguida às respostas de Adão ao Senhor, a mulher, segue a mesma linha. O Senhor lhe perguntou o que ela tinha feito e ela respondeu que a serpente a tinha enganado. Nós vemos aqui o que acontece o tempo todo com tantas pessoas: a busca pelo prazer, as consequências e a falta de autorresponsabilidade pelas escolhas. As perguntas que Deus fez a Adão não foram respondidas e assim, muitos querem ter razão quando não têm razão. Quando são confrontados com a realidade, revelam um nível de fraqueza, de incoerência e irresponsabilidade. “Apresenta as suas razões; se você tem razão... apresente-as. Agora me responda: “Você comeu do fruto que lhe proibi comer”? 

As pessoas fazem aquilo que a carne pede. A carne é insaciável, é uma gastadora. Muitos não estão dispostos a se negarem prazeres, vontades e depois não sabem lidar com o retorno disso. Todos nós colhemos o que plantamos. A minha vida, como também a sua, é o resultado de cada atitude, de cada decisão e escolha que tomamos. É difícil ouvir isso, porque nós sempre que- remos ter alguém a quem responsabilizar, mas somos nós os responsáveis, seja por ação ou por omissão. Precisamos ter em mente que quem só faz o que quer hoje, vai ter que fazer o que não quer amanhã. Quando somos capazes de retardar o prazer imediato e fazer o que é certo e produtivo naquele momento, mais tarde teremos uma colheita de excelentes frutos. 

Por que alguns estão chegando no topo do seu Everest e outros não saíram nem do pé da sua montanha? A capacidade de passar por cima das vontades e fazer o que é preciso é o que separa um ser humano de outro; separa gente grande de meninos. Adão agiu como um menino imaturo, sem responsabilidade. Fez o que quis, depois, como um menino imaturo, culpou a Deus e a mulher dizendo, “Foi a mulher que o Senhor me deu”. 

Jonas fez escolhas erradas, passou por cima da Palavra de Deus, causou um transtorno danado para muita gente, admitiu que ele era o problema, o causador da aflição de toda uma embarcação e, por fim, ao invés de dizer, “Eu vou me jogar no mar”, ele disse: “Lancem-me ao mar”! 

São muitos os que vão vivendo e fazendo como Jonas: “Querem resolver o problema? Eu não vou me jogar, então me joguem”. “Eu não vou mudar, então muda você”. “Eu não comi; me deram, por isso eu comi...”

Nós precisamos de consciência e auto responsabilidade. Adão queria autoridade mas não queria responsabilidade. Nós queremos vitória, sucesso, mas muitas vezes não que- remos nos submeter ao que é preciso, queremos ceder para todas as nossas vontades e ainda ter todas as respostas por parte de Deus. Isso não é possível. O caminho é: “Eu pago agora e desfruto depois”. Nego-me ao que é preciso agora, planto a boa semente e mais tarde desfrutarei dos benefícios. 

Num experimento chamado teste do marshmallow, crianças entre 4 e 5 anos de idade receberam um marshmallow com a condição de ganharem mais um se aguardassem vinte minutos sem degustá-lo. As crianças que conseguiram aguardar o tempo determinado, mais tarde quando adultas, se tornaram pessoas bem sucedidas. Elas retardaram o prazer imediato, e as pessoas que são capazes de fazer isso têm resultado vitorioso. 

Nós lemos que, os que esperam no Senhor, as pessoas que são capazes de esperar no Senhor, que são obedientes às direções recebidas, voam alto como a águia, mas, aquelas que reclamam dos próprios resultados, que querem ter razão mas não conseguem apresentar um argumento — como Adão — porque na verdade ele fez aquilo que Deus falou para ele não fazer. Eu penso que antes de nos chatearmos com os resultados da nossa vida, precisamos responder a pergunta de Deus: “Você comeu do fruto que eu lhe proibi comer?”, “Você fez o que eu disse para você não fazer?”.  As respostas para essas perguntas são as respostas para os nossos resultados. 

Conte com as minhas orações sempre.

Cléo Ribeiro Rossafa

Vida e Fé, assista agora:

Curta nossa Página no Facebook