Rate this item
(1 Vote)

Ora, Eliseu estava sofrendo da doença da qual morreria. Então Jeoás, rei de Israel, foi visitá-lo e, curvado sobre ele, chorou gritando: Meu pai! Meu pai! Tu és como os carros e os cavaleiros de Israel. (2 Reis 13.14)

                É fascinante exemplos de pessoas que se mantiveram do lado certo da vida fazendo as escolhas certas em Deus. Tais exemplos me fascinam, de fato! Eliseu é uma dessas pessoas.  Quando ele tomou a decisão de servir a Deus, aceitou o chamado por intermédio de Elias e nunca retrocedeu! Jamais parou! Não desistiu, e se tornou um grande profeta. O próprio rei o descreve como carros e cavaleiros de Israel. Isso revela a força que ele tinha sobre o país e a importância na vida das pessoas. Ele estava doente e continuava ativo, executou muito bem o seu trabalho até a morte e me encanta o fato de, depois de morto, seus ossos ainda reterem unção capaz de ressuscitar um homem. Então, Eliseu morreu e foi sepultado. Ora, tropas moabitas costumavam entrar no país na primavera. Certa vez quando alguns israelitas sepultavam um homem, viram de repente uma dessas tropas; então jogaram o corpo do homem no túmulo de Eliseu e fugiram. Assim que o cadáver encostou nos ossos de Eliseu, o homem voltou à vida e se levantou (2 Reis 13.20 e 21).

                As escolhas que Eliseu fez em vida, fizeram com que Deus continuasse honrando-o mesmo depois de morto. É interessante que os ossos de Eliseu mantiveram unção capaz de ressuscitar um homem, mas, esta mesma unção não o curou. Havia unção em Eliseu, entretanto ele morreu com aquela enfermidade. São os mistérios de Deus! Um homem com tanta unção, unção capaz de realizar milagres e maravilhas como a ressurreição do filho da sunamita; a transformação de uma água ruim em uma água boa para beber; unção para neutralizar o veneno de uma comida para multiplicar pães; unção para orientar e dirigir reis; unção para tantos outros feitos; ainda depois de morto, unção para ressuscitar um cadáver que apenas foi encostado nos ossos dele; entretanto, no final da vida, a doença não o deixou. Repito, são os mistérios de Deus.

                Nós somos levados a crer, e somente os que creem, sem jamais duvidar, chegam ao final da jornada convictos que fizeram as escolhas certas e atingiram o propósito. Eu recebo o final da vida de Eliseu como um grande exemplo, um testemunho de fé, porque durante a vida, ele fez escolhas corretas e no final fechou com chave de ouro. Enfermo, Eliseu não parou o ministério que lhe fora confiado por Deus. Não vimos registrado nenhuma reclamação, nenhum sinal de desapontamento; pelo contrário, sempre ativo... lá estava ele orientando o rei de Israel! Combateu o bom combate. Teve uma vida altamente bem sucedida e foi um instrumento nas mãos de Deus. Todas as escolhas de Eliseu foram dentro do propósito que Deus tinha para a vida dele. Continuista, consistente, resiliente, tinha tanta força e poder espiritual como a de um exército. Sua caminhada foi progressiva, começou como servo seguindo Elias, atingiu a conquista com porção dobrada de unção, fez duas vezes mais do que Elias fez e, nem no final, a doença não o parou.

                Gente que ama a Deus e entende que o caminho é sempre confiar n’Ele não lamenta, mas enxerga a grandeza de Deus em todas as circunstâncias. Deus sustentou Eliseu em todo tempo, porque a prioridade da vida dele foi ouvir, obedecer e defender o reino de Deus. São tantos os que por tão pouco param, desistem, lamentam e pedem explicações, e Deus não nos deve explicações. Devemos usar bem a vida que temos e não existe nenhuma forma melhor que usá-la para Deus. O rei de Israel foi buscar direção em Eliseu para enfrentar um inimigo muito forte que era a Síria. Eliseu liberou uma palavra de vitória e deu a ele a orientação de pegar uma flecha e golpear o chão. O rei golpeou o chão três vezes e parou. O homem de Deus ficou irado com ele e disse: Você deveria ter golpeado o chão cinco ou seis vezes; assim iria derrotar a Síria e a destruiria complemente; mas, agora, você a vencerá somente três vezes (2 Reis 13.18 e 19).

                O rei não deu o devido crédito ao que recebeu de Eliseu. Não sabemos se por preguiça, passividade ou outro motivo, o rei golpeou o chão apenas três vezes e parou. Três vezes não seria o bastante, pois cada golpe daquele representava uma vitória. Eliseu chegou a ficar irado com ele perguntando-lhe por que não golpeara mais vezes. Se tivesse golpeado o chão mais vezes, teria vencido mais vezes, e dominado o migo completamente. Acontecem fatos como aconteceu com o rei o tempo todo. São pessoas que buscam orientação para a vida, recebem direção, praticam-na por um tempo mas, depois, param, não continuam, têm algumas vitórias mas poderiam ter uma vida vitoriosa. O que são três vitórias se podemos ter todas as vitórias? Eu entendo perfeitamente a ira de Eliseu em relação ao rei de Israel. Já me senti assim ao ver histórias maravilhosas de vida, um caminho perfeito descambando em fracassos, porque, por um tempo a pessoa teve fé para fazer o que foi preciso fazer mas, depois, simplesmente parou. Cada atitude de fé é uma vitória, e cada golpe representa uma atitude de fé. Como disse Eliseu, o rei poderia ter exterminado a Síria, entretanto, devido a pouca atitude, teve apenas três vitórias.

           Algumas pessoas estão como Jeoás: deram alguns passos de fé, viveram algumas vitórias mas, pararam e não tiveram mais vitórias. Esta passagem nos leva a refletir, de um lado, um homem de Deus que não se curvou diante de nada com biografia exemplar; de outro lado, alguém que poderia ter ido muito mais longe e parou quando não devia ter parado. Fez, mas não fez o bastante. Fez um pouco, mas não fez tudo que poderia ter feito. Foi até um ponto e parou no lugar errado. Tinha algo imenso à disposição e ficou apenas com uma porção.  Cada golpe era uma vitória e se tivesse golpeado cem vezes, seriam cem vitórias. Foi o rei quem determinou apenas três vitórias!

           Acredito que Deus coloca diante de nós um caminho de vitórias e o entrega como entregou ao rei. Assim disse Eliseu: Esta é a flecha da vitória do Senhor, a flecha da vitória sobre a Síria! Você destruirá totalmente os arameus em Afeque (2 Reis 13. 17). Está escrito: Você destruirá totalmente.

          A promessa era de uma vitória absoluta. Sabemos que Deus não trabalha sozinho e Jeoás falhou na parte que cabia a ele. Era para ser brilhante, o rei tinha tudo mas ficou com pouco, porque parou quando devia ter continuado. Você entendeu, não é?  Não pode ser assim na nossa vida. Deus nos destinou para uma vida abençoada, mas a vida é feita de escolhas, de passos de fé, de determinação em permanecer fazendo aquilo que nos levanta e que nos leva a progredir.

          Oro para que o Espírito Santo lhe dê visão e revelação para que você venha crescer, amadurecer em Deus, produzir muitos frutos, dar passos de fé, continuar crescendo e progredindo e nunca parar. Que tenha uma vida vitoriosa e não apenas algumas vitórias.

          Conte com as minhas orações sempre.  

          Cléo Ribeiro Rossafa

More in this category: Deus sempre faz de novo »

Vida e Fé, assista agora:

O diabo é o seu inimigo. Lute!

11 Out 2017 Vida e Fé

Uma obra extravagante

09 Out 2017 Vida e Fé

Sai o velho, entra o novo

08 Out 2017 Vida e Fé

Liderança é tudo

04 Out 2017 Vida e Fé

Curta nossa Página no Facebook